Mais do que uma festa ou celebração, o casamento é um ritual, religioso ou não. É durante a cerimônia que os noivos fazem seus votos e têm a sua união abençoada. É um momento tão simbólico e único que precisa ser planejado com carinho e cuidado.

Antes de mais nada, os noivos devem decidir que tipo de cerimônia querem fazer. Se querem uma cerimônia religiosa, voltada para a sua religião; ou se preferem uma cerimônia ecumênica, que não está ligada a nenhuma religião específica, mas envolve a fé; ou uma cerimônia personalizada, que costuma ser centrada no amor e na história do casal.

Para esclarecer as dúvidas, pedimos para que os próprios celebrantes de casamento nos explicassem o diferencial de cada tipo de cerimônia.

 

  • Cerimônia religiosa com efeito civil

Essa cerimônia pode seguir a religião dos noivos e tem efeito civil. Ou seja, após a celebração, os noivos saem oficialmente casados.

“Realizo as cerimônias de casamento com emoção, espiritualidade, fé, respeito, compromisso. A lei brasileira outorga o direito aos pastores e padres, devidamente habilitados e com as suas igrejas registradas, de acordo com as leis do Brasil, a celebrarem a cerimônia religiosa também com o efeito civil, como se estivessem no cartório. Para realizar esse tipo de cerimônia é preciso que os casais tenham a habilitação para a realização do casamento. Essa habilitação é expedida por um cartório de acordo com os ritos processuais estabelecidos na lei.”

Pastor Luiz Longuini

 

  • Cerimônia civil

A cerimônia civil pode ser realizada dentro do cartório ou em um local para casamento com a presença de um juiz de paz.

“O juiz de paz concretiza a união entre os noivos e é responsável pela oficialização do matrimônio, com capacidade de oficializar o casamento junto aos órgãos cabíveis.”

Juiz de Paz Mario Bitar

 

  • Cerimônia ecumênica

Esta cerimônia não está centrada em nenhuma religião específica, mas sim na espiritualidade e na fé dos noivos e suas famílias.

“É celebrar o amor independentemente de gênero, religião e de quantos casamentos cada noivo já viveu no passado. É um diferencial permitir que o casal possa simplesmente riscar as partes da cerimônia que não lhe interessam, podendo incluir seu gosto, seu sonho e seu modo de acreditar no amor e no sentido de uma celebração. É um diferencial acolher todas as religiões e conceitos sobre Deus que o noivo e a noiva juntamente com seus familiares descobriram ao longo da vida.”

– Frei Jhonatha Gerber

 

  • Cerimônia personalizada por um celebrante de casamento

Apesar de não ter efeito civil nem religioso, é uma das cerimônias mais procuradas por casais jovens. O foco aqui é celebrar a sua história de amor, com uma cerimônia poética e totalmente personalizada.

“O celebrante, por não ser um representante nem religioso, nem civil, tem uma liberdade maior na hora de pensar a sua cerimônia. Seu único compromisso é o de celebrar a história de amor do casal. Com isso, as cerimônias acabam ficando mais pessoais, íntimas, verdadeiras e acolhedoras. São cerimônias com um valor simbólico e afetivo muito grande e cheias de significado para os noivos e seus convidados.”

– Celebrante Ilana Reznik , do Casamento Colorido

 

  • Cerimônia personalizada por um amigo ou familiar

Para quem deseja um ar mais intimista, a opção é convidar amigos e familiares para abençoar a união e participar da celebração. Nesse caso, é preciso escolher a pessoa com cuidado. Nossos noivos Monique Carriello e Thiago queriam uma cerimônia celebrada por alguém que os conhecesse muito bem e, por isso, escolheram Camila, a irmã da noiva.

“Nós sempre desejamos uma cerimônia ao ar livre, que traduzisse a simplicidade e leveza da nossa relação e logo pensamos que teríamos de ter alguém muito especial que pudesse verdadeiramente abençoar a nossa união, de uma forma muito genuína. Alguém que conhecesse nossa história e que compartilhasse da nossa felicidade, logo pensamos somente na minha irmã. Ela acompanhou todas as nossas fases, foi a pessoa que nos apresentou e com quem compartilhamos cada detalhe do nosso grande dia. Ela foi mais que uma celebrante para nós, como instrumento de Deus, significa o amor que queremos fortalecer e cultivar ainda mais em nossa vidas.”

– Noiva Monique Carriello

 

Agora você já sabe que tipo de cerimônia de casamento vai escolher?

 

Por Katryn Dias
Fotos Muniz e Maia | Juliana Pessoa | The Kreulichs | Marcio Monteiro | Caroline Cerutti