Às vezes a vida prepara surpresas que não podemos nem imaginar. Quando estava vivendo as delícias de ser noiva, planejando os mínimos detalhes do seu casamento com Bruno, Fernanda Nercessian recebeu uma notícia inesperada: estava grávida. Além de noiva, seria mãe.

Os preparativos continuaram, mas agora com um detalhe especial: Fernanda e Bruno teriam uma nova daminha de honra. Durante a cerimônia de casamento dos pais, a pequena Helena, aos nove meses, foi a responsável por carregar as alianças (presas com fita ao seu pulso), simbolizando a união da família que estava ali se formando. Olha que momento emocionante:

Neste Dia das Mães, trazemos um lindo depoimento da Fernanda, que contou como foi ser uma mamãe-noiva.

Depoimento da noiva Fernanda, mãe da Helena

Eu havia fechado a data há pouquíssimo tempo e estava com a cabeça a mil, focadíssima nos preparativos do casamento, da casa nova e da lua de mel quando, em março logo após o meu aniversário, veio a notícia da gravidez.

Como podem desconfiar, a princípio achávamos que aquele não era o melhor momento, pois estávamos iniciando nossa vida, cheios de gastos com o casamento, casa nova, meu futuro marido morando fora do Rio e, portanto, ter um filho não estava mesmo nos nossos planos. Porém, os planos de Deus são maiores e muito mais sábios que os nossos, não é mesmo?

Depois da notícia, a primeira coisa que eu fiz foi contas. Não de dinheiro e sim de datas. Precisaria eu cancelar o casamento? Estaria gravidíssima ou com um bebê recém-nascido no dia 6 de setembro de 2015? Contas feitas e a resposta foi NÃO! Tudo estava exatamente alinhado. Nosso bebê teria 9 meses no casamento, então não precisaríamos adiar nada. Eu não estaria grávida e já teria tido tempo para me recuperar dos primeiros meses mais difíceis. Apesar de achar bonito, eu não queria casar grávida. Somos festeiros, sonhamos muito com esse dia e eu queria vivê-lo plenamente, queria poder beber minha cervejinha (sim, eu fui uma noiva que bebeu cerveja e não espumante hahaha) e não queria correr o risco de estar me sentindo mal por algum motivo (apesar de ter tido uma gravidez supertranquila, naquele momento eu não sabia como iria me sentir durante a gestação).

Bom, passado o choque inicial eu voltei a me dedicar aos preparativos do casamento. Mas isso levou um tempo. Confesso que fiquei alguns meses sem nem pensar no casamento. Quando voltei a planejar, foi tudo muito mais especial. Foi muito doido incluir no planejamento uma pessoa que nem estava aqui ainda. Por exemplo, começamos a discutir como seria a participação dela no casamento, que roupinha usaria, onde ela descansaria, que música usar, etc. A vontade que eu já tinha de fazer um casamento com a nossa cara aumentou mais ainda.

Após voltar a planejar, uma das primeiras coisas que decidi foi a música da entrada dela na cerimônia. E durante a gravidez eu chorava TODA vez que escutava a música e imaginava a cena dela entrando no colo da minha afilhada.

Helena nasceu e participou dos preparativos comigo. Foi à reunião com o DJ, conheceu o Sítio… Ela ia comigo nas minhas provas de vestido e a eu amamentava entre um ajuste e outro. Foi bem especial!

A participação dela na cerimônia foi definitivamente a parte mais emocionante do meu casamento. Eu estava muito emocionada desde o início, mas eu estava contida, não queria chorar de soluçar e foquei nisso.

No entanto, no momento que elas entraram, ao som de “My Girl”, eu desabei! Não sei como explicar o que senti. Poder ter tido o privilégio de ter nossa filha, a coisa mais importante das nossas vidas, presente no nosso casamento foi indescritível. Hoje, eu e meu marido falamos que não conseguimos imaginar como teria sido o casamento sem a presença dela. Era pra ser. Ela tinha que estar lá! Nós temos muita certeza disso.

Outra coisa que fez muita diferença, foram os votos. Claro que tanto nos meus quanto nos do meu marido, ela estava lá, sendo citada. O nascimento dela nos uniu mais ainda e nos fez passar por muitas provações pré-casamento, o que acabou nos fortalecendo.

Ah, e claro, tivemos que mudar nossos planos de lua de mel, porque os planos iniciais não eram muito adequados para um bebê de 9 meses. Vocês acham que a gente ia deixar ela aqui? Desde que nasceu que ela é nosso grudinho e apesar das críticas, na lua de mel não foi diferente. Mudamos o destino para algo mais “baby friendly” e lá fomos nós 3! E quer saber? Foi maravilhoso!

Ser mãe nos torna pessoas melhores. Sabemos que o dia das mães é todo dia, mas é legal ter um dia todo dedicado a nós!

Mando muitos beijos para todas as mamães aí do Sítio. Seja mamãe de sangue, de coração ou mamãe que é papai/vovó(ô)/titia(o). Porque ser mãe é o trabalho mais difícil e ao mesmo tempo mais gratificante do MUNDO!

Beijos em todos,

Fernanda Nercessian

Por Katryn Dias
Fotos Fernanda Suhett
Vídeo Pérola Filmes

Que tal se emocionar mais um pouquinho? Veja mais fotos e o vídeo do casamento de Fernanda e Bruno: